Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Especial e Única

Apaixonada por cosméticos e maquilhagem! Apaixonada por ser mulher! Deus fez-me especial e única. A mim, e a cada uma de vocês!

Especial e Única

Apaixonada por cosméticos e maquilhagem! Apaixonada por ser mulher! Deus fez-me especial e única. A mim, e a cada uma de vocês!

Mudei a minha alimentação!

Como-conservar-verduras-e-legumes-fora-da-geladeir

 

Pois é verdade, mudei a alimentação e  foi o melhor que podia ter feito por mim!

Estou tão feliz, que decidi partilhar convosco a minha experiência!  

Há cerca de um ano atrás comecei a ter mais cuidado com o que comia, consequência de artigos e livros que, por curiosidade, ia lendo.

Nunca tive problemas de peso, mas fui percebendo que a comida que ingerimos mexe com tudo (literalmente) no nosso organismo e que talvez o cansaço que sentia ao acordar, os picos de energia seguidos da falta dela, a barriga dilatada, as dores de cabeça constantes e a falta de concentração fossem consequência da minha alimentação... 

Em maio decidi procurar alguém que soubesse a sério do assunto, e fui à nutricionista.

Reparem eu achava que tinha uma alimentação saudável e equilibrada, afinal já não comia todos os dias crossaints com chocolate, o meu peso estava óptimo e a massa gorda estava normal para uma mulher de 41 anos que praticava exercício com regularidade. 

 

Como estava enganada!

 

Fui confrontada com uma série de explicações sobre as "possiveis" causas para as minhas queixas. 

O passo seguinte foi mesmo mudar.

E mudei.

O plano inicial foi para 30 dias.

Aumentei consideravelmente a ingestão de:

  • Vegetais (crus e cozinhados), ervas aromáticas e especiarias.

Eliminei:

  • Massas
  • Lacticínios
  • Pão (todo o tipo)
  • Leguminosas
  • Bolachas e cereias (aveia só em pequenas quantidades, e em dias de treino)
  • Álcool 
  • Açucar
  • Refrigerantes
  • Oleos vegetais e gorduras más

Alterei:   

  • As fontes de hidratos de carbono (mais batata doce, mandioca e inhame) e reduzi a quantidade nos dias sem treino

 

E muito importante, passei a ingerir uma fonte de proteína em todas as refeições (para aumentar a saciedade, e manter os níveis de energia e de massa muscular equilibrados).

 

 

O que aconteceu?

Gente gira, o que vos posso dizer é que nada como experimentarmos por nós próprios e ouvirmos o nosso corpo. E eu aprendi a ouvir o meu! 

 

Nos primeiros 4/5dias o meu corpo zangou-se. Eu era tonturas, fome (psicológica, porque não era fome), dores de cabeça, irritabilidade.

Na segunda semana os treinos deixaram de correr tão bem, porque não me sentia com força e energia, o que contribuía para ficar ainda mais irritada.  

Se pensei em desistir? Mais ou menos. O corpo queria desistir, mas a cabeça não.Queria mesmo saber o que ia acontecer. Então segui o plano prescrito à risca.  

Quem tem filhos, por regra tem o tempo todo contadinho e não consegue mudar as rotinas de um dia para o outro. Ora, durante este período comecei a comprar mais frescos, logo tive de arranjar tempo para prepará-los, fazer novas ementas, pequenos-almoços diferentes...até entrar em modo piloto automático custou um bocadinho, mas depois tudo começou a fluir.

A mesa passou a ter mais vegetais, a fruteira mais variedade de frutas, e os lanches dos miúdos menos açucar.

Após o 1.º mês lá estava eu na nutricionista, e os resultados não podiam ter sido mais espectaculares: menos 5 cm na cintura, peso inalterado, menos massa gorda e aumento da massa muscular!

Depois de me ter dado os parabéns pelos resultados, surgiu a pergunta:

- Como se sente?

- Óptima! Não me sentia assim tão bem há mesmo muito tempo! 

- O que vai fazer a seguir?

- Continuar, aliás já nem quero voltar a comer como comia.

 

E a verdade é que estou a adorar o que está a acontecer: o meu corpo desinchou, as dores de cabeça desapareceram quase totalmente, durmo muito melhor, sinto-me com energia ao longo de todo o dia, já não tenho ataques de "fome psicológica" , a pele está hidratada e luminosa...a sério, são tantas coisas boas que não imaginam!

Introduzi novos hábitos, cozinho os alimentos de uma forma mais saudável, e o melhor de tudo é que a família está a aderir bem.

 

Entretanto, já posso comer esporadicamente leguminosas, queijos e se me apetecer beber uma taça de vinho tinto.

Sobrevivi estoicamente ao Verão sem bolas de Berlim porque simplesmente não me apeteceram... e sabem o que mais?

É fantastico não sermos "dominadas" pela comida, quem é ansiosa sabe do que estou a falar! E, sentir no nosso organismo que os alimentos que comemos nos podem fazer (ou não)  pessoas mais felizes!  

Lembrem-se, não mudem porque A ou B faz assim, procurem alguém que vos possa ajudar de forma sustentada e responsável e façam-no por vocês, pela vossa qualidade de vida.